imagem da noticia
camera

Reprodução

seta amarela

Política

Provas de concurso público à distância? Câmara dos Deputados aprova Projeto

A administração pública/órgão contratante deverá estabelecer regras específicas em regulamento

Redação Pedra Azul News

05/08/2022 - 00:00:00 | Atualizada em 05/08/2022 - 13:59:50

camera

Reprodução

A Câmara dos Deputados aprovou na quarta-feira (4), durante sessão deliberativa virtual, a proposta que cria regras para concursos públicos de contratação de servidores públicos federais.

O texto substitutivo ao projeto de lei 252/2003, do Senado, estabelece regras para todas as etapas de um processo de seleção de maneira mais objetiva, ao contrário do texto original. O relator é o deputado Eduardo Cury (PSDB-SP). “O que se propõe é uma lei com normas mínimas para, preservando as experiências de sucesso já em andamento, contribuir para a efetiva realização e para a modernização dos concursos públicos no País”, disse o deputado.

A nova proposta estabelece a avaliação por provas ou provas e análise de títulos, bem como a possibilidade da etapa de curso de formação. O objetivo, segundo o projeto, é avaliar conhecimentos e habilidades para o cargo pretendido.

Há também a autorização para provas à distância, online ou por plataforma eletrônica em acesso individual. A administração pública/órgão contratante deverá estabelecer regras específicas em regulamento.

Serão formas válidas de avaliação: provas escritas, objetivas ou dissertativas, e provas orais que cubram conteúdos gerais ou específicos; elaboração de documentos e simulação de tarefas próprias do cargo, bem como testes físicos compatíveis com as atividades habituais; avaliação psicológica, exame de higidez mental ou teste psicotécnico, desde que conduzidos por profissional habilitado nos termos da regulamentação específica e provas de títulos classificatórias.

As novas regras não serão aplicadas aos concursos de magistratura, Ministério Público, Defensoria Pública da União e Forças Armadas.

Estados e municípios definirão normas próprias. O texto segue agora para análise do Senado.

*Com informaçãoes de Agência Câmara de Notícias