imagem da noticia
camera

Reprodução

seta amarela

Editorial

Como combater a hostilidade

A hostilidade não combina com nosso estilo. Não aceitaremos nenhuma hostilidade a nós dirigida.

Redação Pedra Azul News

02/09/2022 - 00:00:00 | Atualizada em 02/09/2022 - 11:53:55

camera

Reprodução

Que o mundo se torna a cada dia um ambiente mais hostil, é verdade. Que a violência é uma chaga que machuca a nossa gente, isso também é verdade. No entanto, o milagre chamado Brasil sempre aconteceu porque, a despeito do ambiente violento, nosso povo sempre foi amável, acolhedor e de boa convivência.

O Brasil é um dos países mais evoluídos do mundo, por exemplo, no quesito convivência pacífica entre as religiões. Deveríamos nos comportar como referência no assunto. Basta ver a harmoniosa convivência entre judeus e muçulmanos em São Paulo e compará-la com a relação entre esses povos no Oriente Médio: apesar de tudo, nosso povo não é hostil.

Curiosamente, um estranho fenômeno vem espalhando nas redes sociais. Em escandaloso contraste com nosso modo de convivência, as redes tem se tornado um ambiente de completa hostilidade. Para citar o que aconteceu recentemente conosco, publicamos o resultado de uma pesquisa de intenção de votos para Presidência da República. Independentemente do teor da pesquisa, nosso dever enquanto veículo de noticias é informar aos nossos leitores de que foi realizada uma pesquisa registrada no TSE pela empresa X e o seu respectivo resultado.

Caso o leitor entenda que os números foram tendenciosos, o seu protesto deve ser voltado contra a empresa que fez a pesquisa e não contra o jornal que lhe informou sobre a existência da pesquisa. Aliás, se não fosse a imprensa, provavelmente o leitor sequer saberia que foi realizada uma pesquisa oficial e o seu respectivo resultado.

É compreensível a revolta de muitas pessoas nas redes no quae toca ao cenário político. Quem nunca teve problemas com essa onda de censura que temos sofrido de tempos para cá? O Editor-Chefe deste jornal sofreu banimento das redes sociais sem sequer ter direito de defesa. Desconfia-se que por conta de seus posicionamentos em defesa da vida humana desde a concepção até a morte natural. Mas, em verdade, até hoje não se sabe o que aconteceu.

Nesse cenário, causa-nos profundo espanto as manifestações de hostilidades de algumas poucas pessoas que, sem medir palavras tampouco as possíveis consequências jurídicas de seus atos, deflagraram contra nós uma série de agressões gratuitas, dizendo que o Pedra Azul News está divulgando fake news, que o jornal é petista e de esquerda, dentre outras barbaridades .

As afirmações são tão absurdas que basta que o leitor se dê ao trabalho de ler o Editorial sobre a perseguição de católicos na Nicarágua e verá que o jornal oficialmente alertou para que nosso país não seja entregue nas mãos de perseguidores de cristãos. Naquela ocasião, curiosamente, recebemos uma mensagem de uma pessoa revoltada com o fato de termos “criticado o PT”.

Ter posição própria não necessariamente significa ser tendencioso. Ter posicionamento e opinião não significa distorcer os fatos em defesa de interesses particulares. Temos posições, temos valores. Agora, isso não nos afasta do dever de noticiar que saiu o resultado de uma pesquisa oficial registrada no TSE. Se o leitor se revolta ou desconfia da lisura da pesquisa, proteste contra quem fez a pesquisa... e agradeça ao jornal por tê-lo informado sobre o fato de a pesquisa ter sido realizada.

A hostilidade não combina com nosso estilo. Temos um público leitor altamente qualificado e bastante acolhedor, sempre atento aos acontecimentos locais e trazendo informações de relevância para publicarmos. Nossos leitores tem uma participação ativa na produção do conteúdo de nosso jornal. Nossos maiores furos de reportagem só foram possíveis graças à colaboração generosa de nossos leitores. Aqui registramos nosso ostensivo agradecimento!

Em defesa dos interesses legítimos de nosso público leitor, repudiamos qualquer hostilidade a nós dirigida. E não responderemos na mesma moeda. Não nutrimos inimizades pessoais. A exemplo do que o cristianismo nos ensina (odiar o pecado mas amar o pecador), não entraremos na dinâmica da hostilidade. É contra ela, a hostilidade, que nos voltamos. Essa lição está no DNA do povo brasileiro, tão sofrido, tão batalhador, mas sempre tão alegre e acolhedor. Não deve existir espaço para hostilidade no coração humano. É contra essa má inclinação que devemos travar uma luta heroica, ascética, que somente com a ajuda vinda do Alto venceremos. Cada um deve travar essa luta diariamente. Só assim melhoramos, só assim vamos à frente.

Manteremos o nível de qualidade de nosso serviço, sem entrar em pequenas contendas que não atendem ao interesse público. Seguimos servindo a população de Pedra Azul e agradecemos as diversas manifestações de apoio que temos recebido!

É por você, leitor, que trabalhamos a cada dia!