imagem da noticia
camera

Hugo Barreto/Metropoles

seta amarela

Economia

Lula encerra 2023 com rombo próximo de R$ 145 bi nas contas: promessa era ficar abaixo de R$ 100 bi

Fernando Haddad, falhou em entregar o prometido rombo fiscal de 1% do PIB, cerca de R$ 100 bilhões.

Redação Pedra Azul News

29/12/2023 - 00:00:00 | Atualizada em 29/12/2023 - 20:25:05

camera

Hugo Barreto/Metropoles

O primeiro ano do terceiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) encerra-se com um déficit próximo de R$ 145 bilhões, representando 1,4% do Produto Interno Bruto (PIB). Mesmo desconsiderando o pagamento de precatórios, coberto por crédito extra de mais de R$ 90 bilhões, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, falhou em entregar o prometido rombo fiscal de 1% do PIB, cerca de R$ 100 bilhões.

Haddad atribui parte do desequilíbrio às contas desarrumadas deixadas pela gestão anterior de Jair Bolsonaro (PL). Destacou o pagamento de R$ 16,3 bilhões a estados e municípios pela perda de arrecadação com o ICMS e a necessidade de elevar o valor do Bolsa Família, alegando que essa medida já estava prevista no governo anterior. Projeções do mercado financeiro indicam um déficit de 1,4% do PIB, conforme o Boletim Focus divulgado em 26 de dezembro de 2023.

A promessa inicial de Haddad, feita em janeiro durante a apresentação do pacote de ajuste nas contas, era de um rombo inferior a 1% do PIB, mas essa perspectiva foi descartada. O Relatório Bimestral de Receitas e Despesas de novembro, apresentado por Rogério Ceron, secretário do Tesouro, prevê um déficit entre R$ 140 bilhões e R$ 147 bilhões, situando-se em torno de 1,4% do PIB. O Prisma Fiscal do Ministério da Fazenda estima um déficit de R$ 147 bilhões.

Em café da manhã com jornalistas, Haddad admitiu que várias rubricas do Orçamento de 2023 estavam "descobertas". O governo Bolsonaro enviou o Orçamento com déficit de R$ 63,7 bilhões para 2023. Haddad ressaltou a falta de recursos não apenas para o déficit previsto, mas também para o Bolsa Família e a Previdência Social. As despesas governamentais, crescendo acima da inflação, totalizaram R$ 1,668 trilhão de janeiro a outubro, com um aumento real de 5,7%, resultando em um déficit de R$ 75,09 bilhões no período.

Fonte: Poder360

Lula encerra 2023 com rombo próximo de R$ 145 bi nas contas: promessa era ficar abaixo de R$ 100 bi
.