imagem da noticia
camera

Reprodução

PUBLICIDADE

seta amarela

Brasil

Chuvas no Rio Grande do Sul: Veja alguns dados resultantes da destruição até agora

Aeroporto fechado e 187 pontos de bloqueio nas principais rodovias do estado.

Redação Pedra Azul News

08/05/2024 - 00:00:00 | Atualizada em 08/05/2024 - 18:58:09

camera

Reprodução

As fortes chuvas que assolam o Rio Grande do Sul nos últimos dias estão deixando um rastro de destruição e desespero, com estradas bloqueadas e a capital, Porto Alegre, praticamente isolada.

Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (DAER-RS), há um total de 187 pontos de bloqueio nas principais rodovias do estado, sendo 142 totais e 45 parciais.

A situação é crítica, com congestionamentos generalizados em vias de acesso cruciais, como BR-116, BR-386, BR-290, ERS-129 e RSC-287

O Aeroporto de Porto Alegre encontra-se paralisado, prevendo retomar suas operações somente em 30 de maio. Essa interrupção agrava ainda mais a situação, uma vez que é o principal aeroporto do estado e um ponto crucial para o transporte de suprimentos e ajuda humanitária.

Comparado ao ano anterior, o impacto das chuvas é três vezes mais grave, atingindo um número alarmante de municípios. Além disso, 12 barragens estão sob pressão, com duas em estado de emergência, cinco em alerta e cinco em situação de atenção.

O rompimento parcial da Usina 14 de Julho exigiu a evacuação imediata de 10 municípios, forçando os residentes a abandonarem suas casas em busca de segurança em outras localidades.

A situação é agravada pela interrupção dos serviços essenciais, com 418 mil pontos sem energia elétrica, um milhão de residências sem abastecimento de água e dezenas de municípios sem serviço de telefonia e internet.

Diante desse cenário caótico, autoridades locais e organizações de resgate estão mobilizadas para prestar assistência às comunidades afetadas e mitigar os danos causados por essa calamidade natural.

O Brasil inteiro está se mobilizando para enviar suprimentos básicos, alimentos, água, medicações, roupas, material de higiene, agasalhos, cobertores, colchões e mais o que for preciso para ajudar os desabrigados, que não param de aumentar de número.

A situação é bem delicada e a ajuda de todos fará a diferença neste momento de dor e desolação. Procure um local de recebimento na sua cidade e faça sua doação.