imagem da noticia
camera

Cristiano Mariz

seta amarela

Brasil

Bolsonaro tem três dias para explicar minuta de decreto encontrada na casa de Torres

Defesa de Torres alega vazamento de documento fora do contexto.

Redação Pedra Azul News

17/01/2023 - 00:00:00 | Atualizada em 17/01/2023 - 15:41:37

camera

Cristiano Mariz

O ministro Benedito Gonçalves, corregedor-geral da Justiça Eleitoral, abriu na segunda-feira (16) prazo de três dias para que o ex-presidente Jair Bolsonaro se pronuncie sobre uma minuta de decreto encontrada na casa do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública e ex-secretário de Segurança Pública do DF, Anderson Torres.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorizou a inclusão da minuta na investigação eleitoral contra Bolsonaro que trata de um possível abuso de poder político praticado pelo ex-presidente durante sua campanha.

O Tribunal atendeu a um pedido do PDT para que a minuta fosse incluída como prova no processo, uma que vez seu texto previa uma intervenção militar na sede do TSE, o que seria uma "pretensão a golpe de Estado”.

O ministro aprovou a inclusão considerando que há “inequívoca correlação entre os fatos e documentos novos”. Além disso, para o ministro, a minuta reforça a narrativa de que Bolsonaro manteve viva a ideia de fraude e intervenção sobre o resultado das eleições, segundo informações da Agência Brasil.

A minuta, encontrada na casa de Torres, incluía a possibilidade de decretação de Estado de Defesa, com a intervenção das Forças Armadas sobre o TSE. Em contrapartida, Torres alegou que a minuta foi usada fora de contexto e que estava junto com outros papéis que iriam ser descartados.

Anderson Torres está preso e sendo investigado por suposta omissão e conivência com os atos de 8 de janeiro.