imagem da noticia
camera

Crédito : https://ugeirmsindicato.com.br/

seta amarela

Eleições

Operação Eleições 2022: forças de segurança pública atuarão em todo Brasil

Em 2020, a segunda maior quantidade de ocorrências foi relacionada à desinformação com 8,9 mil.

Redação Pedra Azul News

27/09/2022 - 00:00:00 | Atualizada em 27/09/2022 - 09:02:27

camera

Crédito : https://ugeirmsindicato.com.br/

O Centro Integrado de Comando e Controle Nacional (CICCN), em Brasília, será ativado para a Operação Eleições 2022. O objetivo da operação, coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, é garantir a segurança e proteção aos cidadãos, eleitores e servidores da Justiça Eleitoral.

A ação conjunta será acompanhada, em tempo real, por representantes do TSE, Polícias Civis e Militares, do a Polícia Federal (PF), a Polícia Rodoviária Federal (PRF), do Corpo de Bombeiro Militares, do Ministério da Defesa, da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), das Secretarias de Segurança Pública e Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec).

No dia 2 de outubro, as forças de segurança pública atuarão - nos 26 estados e no Distrito Federal – em cartórios eleitorais, locais de votação e de apuração dos votos, vias públicas e estações de transporte, segundo o Ministério da Justiça.

"Entre os impactos na segurança pública que poderão ser observados durante o pleito, estão os possíveis crimes eleitorais (boca de urna, transporte ilegal de eleitores, compras de votos, entre outros), manifestações pacíficas e/ou violentas, bloqueio de vias, rixas, ameaças e atentados, temporais e/ou alagamentos e quedas de energias em locais de votação e de apuração dos votos", diz a pasta.

Indicadores gerados por estes possíveis impactos serão divulgados em boletins informativos, a partir das 9h, com periodicidade de a cada três horas, por meio do site e das redes sociais do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Todas as atividades serão monitoradas pelo CICCNe pelos Centros Integrados de Comando e Controle Estadual (CICCE).

Segundo dados divulgados pelo Ministério da Justiça, nas Eleições Municipais de 2020, foram presas 2,7 mil pessoas e apreendidos 35 menores. Do total de 94,3 mil ocorrências, 93,7 mil foram de material de campanha, 394 de veículos e 111 de armas apreendidas.

Crimes eleitorais como boca de urna, compra de votos, concentração de eleitores, transporte ilegal de eleitores e outros, somaram 4,6 mil ocorrências. Crimes comuns como ameaça, furto, homicídio, tentativa de homicídio, lesão corporal, porte ilegal de arma de fogo, roubo e vias de fato, tiveram 943 ocorrências. Foram 172 ocorrências de crimes contra candidatos, entre ameaças, homicídio, tentativa de homicídio e lesão corporal.

*Informações do Ministério da Justiça e Segurança Pública