imagem da noticia
camera

Ricardo Stuckert/PR

seta amarela

Polícia

Ministro de Lula apresentou dados falsos para pagar viagens de helicóptero com dinheiro público

Entre os nomes apresentados, estão o de uma criança e seus pais.

Redação Pedra Azul News

31/01/2023 - 00:00:00 | Atualizada em 31/01/2023 - 12:17:13

camera

Ricardo Stuckert/PR

O ministro das Comunicações do governo Lula, Juscelino Filho (União Brasil), apresentou dados falsos para pagar viagens durante sua campanha a deputado federal, no ano passado. Foram, supostamente, 23 viagens de helicóptero pagas com dinheiro público. As informações são do jornal O Estado de São Paulo, de terça-feira (31).

Em sua prestação de contas, Juscelino informou que os voos foram feitos por "três cabos eleitorais". No entanto, segundo a reportagem, os nomes apresentados pelo ministro são de um casal e a filha de 10 anos que dizem não conhecer o político.

Com os dados falsos apresentados, a campanha de Juscelino recebeu R$ 385 mil reais do Fundo Eleitoral. A hora do voo teria custado R$ 11 mil reais o que, segundo o jornal, seria um valor bem maior do que o cobrado pela mesma empresa, a Rotorfly Táxi Aéreo, em outras viagens. O valor acertado pelo diretório do União Brasil de Alagoas teria sido de R$ 5 mil reais hora-voo.

O empresário Daniel Andrade, citado na lista de passageiros juntamente com sua esposa e a filha, alega atuar no ramo de decoração e não ter qualquer participação em campanha política. "Isso aí está errado, provavelmente é uma fraude. Não tenho nenhuma ligação com campanha nem com político no Maranhão (...) Usaram meu nome, da minha família, da minha filha”, alega o empresário.

Os documentos sobre a contratação da Rotorfly com a lista de passageiros foram enviados à Justiça Eleitoral pelo ministro com erros, rasuras, mesma cidade de origem e destino, bem como informações escritas a mão e digitadas, segundo a reportagem.

A empresa Rotorfly explicou ao jornal que o ministro informou os nomes de maneira incorreta por um erro no sistema interno. O erro teria preenchido o documento de forma errada, mas que a lista correta já está protocolada.

Além disso, o Estadão revelou que Juscelino direcionou R$ 5 milhões do orçamento secreto para construção de uma estrada com acesso para as fazendas da família. Indicado pelo Centrão ao cargo, o ministro admitiu o uso de orçamento secreto.