imagem da noticia
camera

Divulgação

seta amarela

Polícia

Âncora da Fox News americana afirma que há interferência dos EUA nas eleições brasileiras

Abordagem do jornalista é inédita na imprensa internacional.

Redação Pedra Azul News

03/11/2022 - 00:00:00 | Atualizada em 07/11/2022 - 10:02:05

camera

Divulgação

Tucker Carlson, âncora da Fox News dos EUA, se manifestou em tom polêmico e indignado sobre o que está acontecendo no Brasil. Em conduta inédita na imprensa internacional, ele expressou perplexidade com a condução do processo eleitoral no Brasil. À abordagem de Carlson se juntou a análise do jornalista investigativo Matthew Tyrmand que também não poupou críticas ao cenário brasileiro.

Os jornalistas entendem que o Governo Biden está ilegitimamente interferindo nas eleições no Brasil. Segundo Carlson, um diretor da Cia pessoalmente pressionou o presidente do Brasil a aceitar o resultado das eleições.

“O diretor da Cia de Biden pessoalmente pressionou o gabinete do presidente Bolsonaro, ainda tecnicamente o presidente do Brasil. Pressionou Bolsonaro a aceitar o resultado das eleições antes das eleições”, afirmou Carlson.

As Big Techs também não escaparam do juízo condenatório de Carlson. Segundo ele, trata-se de um braço do Governo Biden que há dois anos vem promovendo censuras.

Tyrmand mencionou nominalmente a deputada Carla Zambelli (PL-SP) que foi banida das redes sociais recentemente. Além disso, Carlson fez referência, sem citar nomes, ao caso de um parlamentar que teve contra si decretada prisão domiciliar, além de muitos jornalistas que, segundo ele, foram censurados e presos.

Os jornalistas mencionaram ainda um juiz, cabeça da Suprema Corte brasileira que vem desrespeitando o devido processo legal. “Não há devido processo legal aqui”, disse Tyrmand em relação ao Brasil. Ao que tudo indica, a menção seria relativa ao ministro Alexandre de Moares. O ministro já havia sido objeto de reportagem no New York Times anteriormente intitulada “One man can now decide what can be said online in Brazil” (Um homem agora pode decidir o que pode ser dito online no Brasil).

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) também não escapou da crítica de Carlson. O jornalista se referiu a ele como o candidato “deles”, em menção ao Governo Biden e às Big Techs, que “supostamente” venceu.

Carlson terminou sua crítica com um apelo em defesa da liberdade de expressão. Segundo ele, onde não há liberdade de expressão, não há democracia. “Se você não tem liberdade de expressão, você não tem democracia.”, afirmou.